samba herdar grupo de usuário nas pastas e arquivos

Samba herdar grupo de usuário nas pastas e arquivos

mudar o grupo padrao da pasta e seus subdiretorios e arquivos:

chgrp -hR rh /novanis/grupos/rh/

Depois aplicar:

chmod g+s /novanis/grupos/rh

————————————
Vamos lá, o chmod muda as permissões, pela passagem de parâmetros, que podem ser letras ou números. Se forem números, seguem essa tabelinha abaixo:

1 – execução
2 – leitura
4 – escrita

Portanto, se você quer dar permissões de execução e leitura a um arquivo, seria dessa forma:

$chmod 333 arquivo

O primeiro 3 refere-se às permissões do dono, o segundo do grupo do dono e o terceiro para os outros usuários.
Da mesma maneira, poderiam ser usadas letras, que são:

x – execução
r – leitura
w – escrita

De maneira geral, você tem mais flexibilidade com os números, pois, adicionando um atributo ‘x’, por exemplo, você permite a execução por qualquer tipo de usuário, seja dono, grupo ou outros, enquanto com os números, como podemos ver, podemos dar direitos de execução apenas para o dono. Eles também podem ser combinados, dessa forma:

chmod +xw arquivo

Isso dá permissões de execução e escrita para todos os usuários. Mas, você também pode dar permissões de maneira seletiva, como que usando os números, mas, é um tanto trabalhoso, pois existem quatro letrinhas que permitem isso:

u – dono
g – grupo
o – outros
a – todos

Desnecessário dizer que o parâmetro ‘a’ é redundante, quando se usa o comando com sua sintaxe simplificada com as letras. Um exemplo de como dar as permissões de maneira seletiva seria esse:

chmod u+wx,g-w,o=r arquivo

Isso dá permissões de escrita e execução para o dono, tira a permissão de escrita do grupo e apenas leitura para outros usuários.

  Links Leitura

Existem outros parâmetros especiais, como o setuid, setgid e sticky bit, que entram como um quarto número nas permissões padrão, no início. São os seus números correspondentes:

1 ou s – sticky bit
2 ou g+s – setgid ligado
4 ou u+s – setuid ligado

Com o sticky bit ligado, esse programa será executado como root. É assim que algumas distros deixam algumas tarefas, antes inerentes apenas ao administrador, serem feitas pelo usário comum. Com o setgid, será executado pelo grupo do dono do arquivo, e o setuid, pelo dono do arquivo. E, todos os parâmetros passados inicialmente podem ser usados também e você também pode combinar esses parâmetros, como foi feito nos outros exemplos, somando os números ou usando a letra de maior prioridade, na seguite sequüência:

s – engloba todos os tipos de usuários
g – apenas o grupo do dono
u – apenas o dono

Então, apenas o ‘s’ liga o bit para todos, o ‘g+s’ para o grupo do dono e o ‘u+s’ apenas para o dono, para corresponder com a soma dos números, do mesmo jeito que nas permissões normais. Por exemplo, digamos que um arquivo tem as permissões em 644. Para adicionar o setuid e o setgid, bastaria fazer o seguinte:

chmod 6644 arquivo

ou

chmod g+s arquivo

Existe uma opção muito útil, que é a ‘-R’, que aplica o comando recursivamente. Com isso, se você quer que todos os arquivos de uma pasta, por exemplo, sejam mudados automaticamente, é essa opção que você tem que usar. Digamos que uma pasta e seus arquivos têm permissões 533 e você queira mudar para 755. O comando seria esse:

chmod -R 755 pasta